segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

De tanto fazer por você...

E eu que sempre acreditei que um relacionamento fazia a gente virar o outro...

E foi assim, de tanto fazer por você, acabei achando que era pra mim. Vejo filmes e não sei se são pensando em mim ou em você (ou seria no seu gosto?). Escuto músicas que só me fazem lembrar você. É a memória traiçoeira, ou é o hábito seu que virou meu?

Você se tornou uma ausência tão presente em tudo. Nos sapatos que compro, nas roupas que experimento. Tudo me faz imaginar uma possível opinião sua... Vou para o trabalho e me arrumo da melhor maneira que posso, vai que a gente se esbarra como nos velhos tempos! Saio e passo o batom vermelho, vai que você não queira me beijar, mas mesmo assim goste da minha boca em destaque. Escolho roupas, batons, quadros, músicas. Tudo pensando nos mínimos detalhes, nas sua preferências. Mas claro, com muita delicadeza , qualidade esta que aprendi sozinha, mas por culpa sua!

É difícil esquecer toda a intimidade, fazer isso tudo virar um nada. Mais difícil não querer te contar sobre o meu dia, sobre o livro que estou lendo. Isso acontece com tanta naturalidade, penso em nós dois de uma maneira tão espontaneidade que até esqueço que era só pra você, que era pro seu gosto e não pro meu gosto. Sua postura virou minha, seu gosto musical virou o meu. Seu jeito de piscar e olhar pro lado se tornou meu.

Sinto que vou te encontrar nas eternas coincidências, como na mesma praia, o mesmo bolo de chocolate, o mesmo prato de bife com batata frita. São as ironias que só existem entre quem se conhece há muito tempo, talvez de outros tempos...

É tudo tão impensado que às vezes nem me lembro de te dizer que foi assim que dediquei esse ano todo pra você. Como a gente não se fala, esqueci de contar que esse foi o meu jeito de dizer que te amo. E esqueci também que, não importa o que eu faça, você chega e sai correndo, sumindo, desaparecendo feito vertigem. Sem ler nada, sem ver as cores, esbarrando em copos...

- Vai em silêncio, sem prestar atenção no mundo que pintei para você. É assim que você é e sempre será!


Carolina Tardivo